segunda-feira, julho 07, 2008

A paixão ta me dando um tapa na cara toda vez que vou falar com ela. Disse que eu ando sumida, ando parando de fazer o que eu sempre fiz pra ela continuar ali, só existindo.
Eu ando preocupada, to começando a esquecer seu rosto. Será que um dia se eu te vir de novo eu não vou reconhecer? eu não lembro mais do teu cheiro.

A question well served,
'Is silence like a fever?'
'A voice never heard?'
'Or a message with no receiver?'

Fluxo de consciência só funciona quando o escritor é bom. 'um grande amor não se acaba assim feito espumas ao vento'. eu vou ouvindo as músicas. o petrucci e o fagner, na mesma lista de execução. você e eu nessa porra de confusão. 'desejo pegando fogo'. eu nessa porra de confusão. 'mas se eu fosse você eu voltava pra mim de novo'
e de novo
e de novo

eu descobri que eu sou repetitiva, tão repetitiva quantos os gemidos da Ana Carolina.
'eu queria tanto mudar sua vida, mas você não sabe se vai ou se fica'
eu sempre caio na mesma história e sempre consciente! eu tenho noção da burrice. e gosto de ser burra.
a ignorância é uma dádiva mesmo.

Pegou o telefone e tremia mais de ansiedade do que de frio.
Alô?
Não diz nada, cala a boca e me escuta.
Eu to tentando não acabar com tudo. Eu sempre disse que ia ser indiferente e não consegui. Agora, eu to lutando contra a minha (sempre boa) memória pra não te esquecer.
Eu to te vendo ir embora, do jeito que eu disse que iria. Au revoir, mon amour.

Ela gosta da pose de vítima. ah, ela gosta. Eu sempre fiz tudo pro nosso casinho dar certo. ' o que você não quer eu não quero insistir'. Desce desse ônibus e fica comigo aqui parado.

Tá sempre se arrependendo de ter começado as coisas. Por que foi que não bebeu menos, não deixou de criar coragem e não ficou quieta ao invés de perguntar: que tal nós dois? E por que foi que ele não disse um não tem nós dois, ao invés de beija-la? Pra que tanto carinho? Pra que tanta atenção. é tão mais fácil ser indiferente...

'no peito dos desafinados também bate um coração'.

Liguei pra floricultura hoje pra saber o preço das flores. Eu diria que não ando valendo muito. Eu diria que há muito tempo ela espera um bem boladinho de flor com um sorriso na cara.

a noite tava linda. mas o teu sorriso me engoliu não me deixou ver mais nada. teu sorriso branco, grande, me deixou presa nele de modo que eu não conseguia nem me mexer. você é lindo. deu um suspiro e perguntei 'ta pensando em que?' e você desfez o sorriso pra falar alguma bobagem. 'Será que você não é nada que eu penso?'
quando é que você vai ler os meus pensamentos?

2 comentários:

K.C disse...

"eu descobri que eu sou repetitiva, tão repetitiva quantos os gemidos da Ana Carolina.
eu sempre caio na mesma história e sempre consciente! eu tenho noção da burrice. e gosto de ser burra.
a ignorância é uma dádiva mesmo."



isso me define, muito sincera e intensamente.

Adrilles Jorge disse...

Sua bricolagem de fragmentos literários parece um espelho partido cujos cacos refletem os pedaços de seus disfarces que você usa para NÃO se disfarçar, Marcella Abboud.

...