domingo, novembro 05, 2006

Bilhete pro amigo

Não te irrites, por mais que te fizerem...
Estuda, a frio, o coração alheio.
Farás, assim, do mal que eles te querem,
Teu mais amável e sutil recreio...

Mário Quintana

Eu vou lhe escrever esse bilhete. Assim, com essa letrinha bonita, de quem tá de ressaca. Nele vai ter a solução dos seus medos, a confissão das suas vontades. Quando você acabar de ler, não vai ficar com saudade, nem vai pedir outro, só esse será suficiente. No meu bilhetinho, eu não vou terminar com um 'eu te amo', nem vou começar com 'caro amigo', mas você vai se sentir amado, mesmo assim. Eu não vou lembrar que você é importante pra mim, porque isso você já deve saber, nem vou prometer que as coisas vão dar certo. Elas sempre dão, faltamente. Principalmente com você. Lembra, amigo meu, daquele dia? Lógico que não. Não tivemos um dia. Mas lembra daquele lá? Deste você se lembrará, porque ele ainda está por vir. Amigo, eu sei que a vida não tem tomado o rumo certo. Mas eu tomo cerveja, você toma vinho, e a vida toma jeito. Não se preocupa. Hoje, eu não sou bonita quanto meus olhos já viram, meu sorriso anda meio amarelado, manchado com as coisas ruins da vida. Desacostumado a sorrir. Mas o seu não. O seu, ainda que discreto, permanece aí. Porque eu não vou deixar tamanho sorriso fugir. Eu ainda sou míope, meu querido, e continuo forçando os olhos pra vê-lo. Porém, não há de se preocupar, porque você me vê bem, e não se esforça pra me entender. E não é que entende. Talvez porque somos amigos. Se sente bem agora, amigo amado? Não. Entretanto, a promessa foi cumprida. Porque se não melhorou a sua alma, a minha, ao menos, salvou.

Um beijo no queixo, amigo. E juízo na cabeça.

sempre sua,
amiga,

Um comentário:

anagrama. disse...

muito obrigado.
vc sempre faz tudo que pode por mim.
sempre cumpre suas promessas e naum cobra as promessas que eu te fiz e naum cumpri.

sou rei de naum cumprir promessas.

beijos