quarta-feira, novembro 08, 2006

Ainda, ainda que não acredite

Eles não tinham absolutamente nada a ver. Vitória tinha os cabelos curtos, estudava literatura e ouvia bossa nova. Marcelo tinha o cabelo longo, professor particular de matemática e apaixonado por metal. Um dia se viram, sem se conhecer. Nunca se conheceriam, eram opostos demais pra isso. Foram se descobrindo. Marcelo queria uma mulher prendada, ficou com uma moderna. Vitória queria um príncipe e Marcelo só criava sapos. Levaram a vida sem levar nada dela. Se acostumaram com os vícios, ainda que Marcelo não suportasse o gosto de cerveja de Vitória, e mesmo que vitória odiasse a cara desbarbada de Marcelo. Conviveram, viveram, voaram. Vitória sem se acostumar com a racionalidade de Marcelo, mas deixando que esta melhorasse sua rotina maluca. Marcelo permitindo que a maluquisse de Vitória desestruturasse a sua equilibrada e insossa vida. Não adiantava misturar muito. Vitória era fermentada, Marcelo destilado. Vitória era marchinha de carnaval, Marcelo era marcha fúnebre. Nunca seriam miscíveis. Alguns outros meses passaram. Vitória era vermelha, Marcelo era cinza. Vitória dançava, Marcelo dormia. Vitória era pôr-do-sol, Marcelo amanhecer. Ela pedia, ele esperava o subentendido. E eles só precisaram de uma cama e quatro olhos... Vitória deixou o cabelo crescer e Marcelo cortou o seu. Marcelo tirou "Minha Namorada" na guitarra, e Vitória cantou Led Zeppelin pra ele. Criaram um mundo. Vitória aprendeu a dormir abraçada e Marcelo a acreditar em poesia. Não tiveram um final feliz, porque não chegaram a fim nenhum. Não que simplesmente não tivessem objetivos, Marcelo até tinha, mas aprendeu a esquecê-los para se lembrar de Vitória.
Essa história é inventada. Mas quem que não inventa a própria história?

3 comentários:

* disse...

muito surreal esse texto.....dah impressao que as personagens se misturam.

depois vc me explica melhor esse texto.

o pão da minha prima disse...

essa é a idéia, asterisco!

meio eduardo e monica
versão século 21 uauhahua



me soa meio nostálgico...=\

Victor disse...

Um eduardo e monica que vivem em um mundo tão complicado... simples assim.