quarta-feira, junho 18, 2008

O problema é a intensidade? Uma vez eu te perguntei isso. Você sorriu, um sorriso de lado, disse que era a intensidade o que eu tinha de melhor. Você disse, eu lembro, que eu nunca devia querer perder isso. Mas quando você disse você tava indo embora. Eu pedi, intensamente, que você voltasse. E você não voltou. Então por você e por tudo que eu fiz e faria por você eu me prometi não perder a intensidade. Você disse que era lindo de ver o jeito que eu me abandonava para as coisas. Eu disse que eu fazia isso porque não sabia fazer diferente. Você me achou incrível. Eu te achava único. Eu sabia, eu sempre soube, que outro de você não teria. Eu ainda sei disso. Sei quando to sozinha, sei quando estou com outros. Sei quando estive com ele. Você foi embora e ele ficou. Você foi embora deixando que eu gritasse. Ele ficou me fazendo ficar quieta. Eu tentei lembrar da promessa que fiz pra você e pra mim e não me calei. Não deixei de dizer o que sentia, não parei de sentir. Eu disse que eu queria ser indiferente e você não deixou. E eu não fui, eu não sou. Agora aquele que tinha ficado também foi. Você, ainda não voltou, e eu, meu deus...Eu to procurando força ainda para não quebrar aquela promessa. A única coisa que eu fiz por mim mesma, a única coisa que me une a você

4 comentários:

... disse...

talvez seja a única coisa que te una à você.


saudade, sabia? x)

;*

K.C disse...

grr. comentei logada no meu outro email. sou eu ali em cima :)

aini disse...

bem vinda ao clube dos que tentam conter um furacão interno chamado intensidade. ai...
bonito o texto, moça!

Gabi Tirelli disse...

O problema é que a intensidade de um nunca é igual à do outro, mas nós esperamos que elas se equiparem...