domingo, janeiro 18, 2009

Que foi? Não me olha assim. Essa sua cara não me engana mais. Eu sei o que você quer. Quer que eu te explique, não é? Quer que eu diga como eu posso me manter assim calma?
Fácil.
Eu aprendi seus truques, menino. Eu aprendi seu blefe. E agora, não me importa. Quanto mais você fingir que não me vê quando eu passo eu teu lado, mais eu sei que o meu perfume aguça sua lembrança.
Quantas mais vezez você errar meu nome, eu terei a certeza plena de que ele que você soletra, sussura, repete incansavelmente debaixo do cobertor úmido. Enxarcado do desejo que você tem por mim.
Pouco, muito pouco me importa a tua indiferença. Eu sei que to dançando catira no teu coração. To enchendo de vermelho teu dia cinza. Tô trazendo insônia pro teu tédio sonolento.
Se mais duas vezes você fingir que não me vê, duas vezes mais eu garanto no meu quieto ser que é de noite, no escuro, que você tapa os olhos e chora, porque a minha imagem não quer mais, não vai mais fugir.

Corre, menino, corre... ou você vai se perder em mim.

6 comentários:

Rfa disse...

é tão bom chegar por aqui e ver sempre um texto novo..

tava com saudade ja de ''te ler''.

Duda Ribeiro disse...

Rosa, você não me conhece.. mais é tão bom chegar aqui e ver sepre um texto novo...

Rosa disse...

é esse tipo de coisa que me motiva a continuar escrevendo.

brigada gente =)

laizas303 disse...

eu nao comento, mas leio, vale?

Anônimo disse...

O Amor é uma doce ilusão

Ilusão doce
Doce Ilusão

Ou

Certeza Absoluta
não sei qual é pior...

K.C disse...

eu gosto de conhecer tuas 'loucuras' só por te ler...ainda escrevo sobre isso.