sexta-feira, novembro 07, 2008

E agora que eu caí nesse buraco, que não pára de me levar cada vez mais embaixo?
E agora que a minha respiração tá ficando fraca e a minha voz ta sumindo?
E agora que eu to me sujando, vou me misturar com a terra? Minha pele de lama, minha cara de merda.
E agora que já não se percebe a diferença de um sussuro e um grito?
E agora que eu prefiro você morto do que fugido?
E agora que você já não sabe mais em quem confiar?
E agora que você vê sua melhor amiga roubar seu par?
E agora que é mais gentil o silêncio do que a palavra?

A gente se cala. Ou grita?

A gente se ama, ou se evita?

A gente se desgasta...
gasta a saliva no que não se pode falar.
gasta lágrimas doídas querendo parar de chorar.
gasta cigarros inteiros sem conseguir fumar.
gasta o trago ligeiro sem brindar.

tim tim. E está servido o coquetel da minha falsidade com a sua hipocrisia.

3 comentários:

K.C disse...

em outros tempos talvez eu disesse algo que fizesse sentido e soasse bonito.

hj eu prefiro nem dizer nada...

a nao ser que eu sinto saudade, e vc nem precisa me pedir pra dizer.eu sinto. muito.

Leonardo Saraiva disse...

rosinha,
aqui é o leo. eu preciso entrar em contato com voce, mas nao tenho seu email. caso vc veja essa msg, por favor me manda um email, ok? daí eu te explico o assunto que precisamos falar

bjo, leo

meu email é: lecosg2@gmail.com

Lo. disse...

não sei direito como eu vim parar aqui,
mas gostei!
e gostei muito desse texto, já tive vontade de falar tudo isso assim, desenfreadamente.