terça-feira, agosto 26, 2008

Eu agüento seus vícios. Você é tão forte. Teu perfume sempre vence o meu na queda de braço que rola no meu lençol quando você levanta. Teu perfume, grande campeão, se exibe marcante e orgulhoso, me lembrando a noite toda que, ainda que aquela cama fosse minha, ela cheiraria da mesma maneira que cheira a tua nuca colada na minha boca. A noite inteira. Eu volto a pensar nos teus vícios, você consegue ser sórdido até comentando um detalhe meu. Eu sou cheia de detalhes. Você me Olga, como um amontoado de retalhos que você não entende e não gosta. Não gosta mas também não joga fora porque sempre pensa que algum dia eu posso ser útil. Queria ser teu quebra-cabeça, retalhado também. Mas instigante o suficiente a ponto de você ter vontade de juntar minhas peças, exaustivamente, e depois olhar sorridente o resultado. Que seria bonito. Meus detalhes, meus retalhos, minhas peças te incomodam tanto que eu fico constrangida toda vez que você me olha; sempre nua. Você é um masoquista, sabe que eu não sou nada daquilo que mais te atrai mas mesmo assim me olha, demoradamente. Gosta da repulsa que o meu corpo te dá e fica com tesão. Morre de tesão das minhas costas tortas, minhas pernas machucadas e do meu cabelo desgrenhado. Eu não tenho nada do que você mais gosta e você ainda procura isso em mim como se fosse um dia brotar. Adoro o falso tom amigável que a sua voz assume depois que goza. Teu pudor não te deixa me destratar, eu fui recipiente do teu prazer; Mas, assim que o suor seca e o seu corpo para de tremer você se auto-flagela com a tristeza de me ver deitada ao seu lado...feliz.Eu fico sorrindo, vitoriosa, mais uma noite! E aos poucos eu vou te sugando. Você dependendo mais de mim e eu cada vez mais descobrindo quem você é. Meu deus, como você é sujo. Eu te d3ixo imundo e você até chora de prazer. Ou é de vergonha? Eu sou exatamente o oposto do que você gosta. Por que? Você se preocupa, se pergunta, eu finjo que não noto. Vou embora gargalhando. Você me dá asco, vontade de vomitar na sua cara. Bem que você ia gostar que eu vomitasse, eu sei disso. E é só por isso que eu me controlo e não gorfo minha verdade vermelha nesse branco mentiroso que você é.

2 comentários:

Guto Leite disse...

É, minha parceira, boneca de pano, você é foda! Beijo grande e saudades

Lady Mayfair disse...

Foda, muito foda mesmo... Arrepiou... Beijos!