terça-feira, maio 06, 2008

Estranho. Parece bem estranho.
Parece. Estranho, bem estranho.
Não sei qual o problema
Não sei se é o teu sorriso, que eu desconhecia;
(mas eu sempre sorri)
Talvez sejam teus olhos que eu não via
(mas eu me mantive olhando ali)
Estranhas suas mãos que eu não acostumo
(as minhas procuram as tuas)
Estranho que eu não gosto e assumo
(minhas pernas andam tuas ruas)
Tão estranho teu cheiro que não combina
(e com o meu se confunde)
Estranho teu coração que desritima
(e no passo do meu se funde)

Estranhíssimo.


"estranho seria se eu não me apaixonasse por você"

5 comentários:

Guto Leite disse...

Adoro tuas incursões poéticas, parceira. Gostaria de ver mais! Tenho uma novidade: até terça, estou incumbido de fazer a harmonia da nossa música, pros passos seguintes. =) To bem empolgado! Beijo grande, querida!

bilis disse...

e o final a citação encaixa perfeitamente em seu poema

eles são pensamentos que se cruzam
palavras que se completam
falta de explicação que explica
um paradoxo impressionante

K.C disse...

acho estranho mesmo é eu sentir uma certa falta de algo que eu nunca tive. Suas conversas, entende?! às vezes me pego te procurando no msn pra uma dessas conversas longas, e metafóricas que a gente nunca teve.
Acho bem estranho.


;*

Tássio disse...

Já vi muita gente perder o dom, mas tu nunca o perdes, ein!

=*

*Distante mas sempre presente =P

Gi disse...

Foi como a Gê me disse...
esses versos me dizem como a minha vida é igual à de todo mundo
e só por isso é única...
E tudo o mais que é estranho
permite esse sentimento ganho
um presente sem querer
um momento pra se perder