domingo, março 14, 2010

minhas linhas, seus desenhos.

eu vou seguir guardando todos os seus desenhos. Todos. até aquele que você disse para eu não levar a sério. cada desenho que eu guardar, um pouco do que você tem de melhor fica comigo: um descarrego de cores e formas que saem pelas pontas do seu dedo e esvaziam sua cabeça, do jeito que você precisa.
eu guardo seus desenhos como uma espécie de masoquismo assustadoramente doce, porque eu sei que eu nunca vou ter a formas e nem as cores certas de um bom desenho e nem como folha de papel em braco eu sirvo, nasci assim, meio parda e manchada por algumas saudades de outras vidas não-vividas. Sabido disso, eu sigo guardando seus desenhos como forma de lembrar que você sabe, como um verdadeiro artista, redesenhar linhas e transformar qualquer flor murcha em uma verdadeira obra de arte

5 comentários:

Picles disse...

flor murcha e intensa não existe. flor eternamente intensa e viva nunca deixa a flor murcha tomar conta, never.

Mayara Almeida disse...

Que bonito.
Ah, e obrigada pela visita ao meu blog. Volte-se sempre que quiser.
Bjs.

Adriano disse...

Não se trata de uma transformação, mas sim de uma constatação

K.C disse...

evitamos o encontro pelas nossas proprias linhas tortas

vinicius disse...

parafraseando o nosso querido Adriano, não só uma constatação mas também uma definição...

[farei uma pergunta sobre: "Eu sou exatamente aquilo que o que eu escrevo te fez supor que eu era."
você é a minha suposição? ]