sábado, julho 14, 2007

Pega tua boneca de pano. Gira. Gira. Gira. Pega tua boneca de pano e morde a boca dela. Ela não sente dor. Pega tua boneca de pano. Apalpa, alisa, belisca. Ela é tua mesmo. Pega tua boneca de pano. E fode, morde, sacode. Ela não sente. É de pano. Pega tua boneca de pano. Escarra, pisa e grita “é de pano, minha gente. Não vale nada. Não grita nem reclama”. Rasga tua boneca de pano, porque a pressa não te deixa fazer as coisas direito. Arranha tua boneca de pano, porque teu pudor te restringe a carne [e que carne é essa que digo?] e quando cansar, não custa, deita tua boneca de pano na cama porque ela ta cansada, suja e maltratada. “Mas não é de pano sua cabeça?”. Acaricia e diz que ama sua boneca de pano. “mas não é de espuma seu coração?”.Joga tua boneca de pano, que agora ela só é pano de chão.

3 comentários:

jolis disse...

anhooo
amei o texto e fico super top no arbo =D
vo da + bola pro seu blog sim, minina

ateh pq vc eh cult sim. mesmo sem o mapa do br no quarto =D
te amo nega
um beijo gld

aini disse...

uau!

Luu disse...

nossa!nao conhecia esse blog
vc é uma poeta mesmo!lindo os textos q vc escreve,uma mais lindo q o outro!
ameiii!
vou vir sempre aqui!
amo vc linda!saudade!
beijaoo!

luisa caram
=D